Aprendendo a Amar

por Fabiola em . Publicado em Mocidade.

Programa Transição/11222401_842018712579627_1213452248826677395_nMensagem recebida pelo Grupo de Estudos da Psicografia da Sociedade Espírita Francisco de Assis

O amor obsessivo é como se unir a outra pessoa com um grilhão de duas argolas unidas, que mantém unidos, mas com a formação de feridas profundas, marcas negativas e peso desconfortável para a continuidade da jornada. Estar unido dessa forma é cercear a liberdade de um dos envolvidos no primeiro momento, mas ao ver ao longe, notamos que a liberdade de ambos está e será comprometida.
Amar não significa necessariamente que se deva viver para sempre unido ao outro, essa necessidade sentida por alguns espíritos está diretamente relacionado a sua condição de evolução espiritual, que quanto mais avançado se encontra, mais facilidade terá de entender. Já o espírito que a ligação com a matéria ainda domina sua condição, não admite a possibilidade de perder o parceiro de uma experiência pretérita.
É ao verdadeiro amor que todos devem se ligar, ao amor de irmãos em Deus que será para a eternidade de suas existências, esse amor não fere ou faz sofrer, pelo contrário, anima a alma e leva a todos ao objetivo que fomos criados e estimulados a alcançar, a felicidade plena.
Amem a si mesmos, a Deus o Pai e a todos os seus irmãos.
Fiquem em Paz.

A Desencarnação

por Fabiola em . Publicado em Mocidade.

downloadMarta Antunes Moura

A morte do corpo físico é fenômeno natural que atinge  todos os seres da Criação, cedo ou tarde. A desencarnação acontece quando os laços peripirituais, até então mantidos enraizados, molécula a molécula no corpo físico, se desfazem, concedendo liberdade ao Espírito que passa a viver em outra dimensão da vida.

Segundo o Espiritismo,  a morte é  “[…] uma simples mudança de estado, a destruição de uma forma frágil que já não proporciona à vida as condições necessárias ao seu funcionamento e à sua evolução. […].1Ensina igualmente:  a separação do Espírito  do corpo que lhe pertencia não é   dolorosa, sobretudo quando das mortes naturais, que decorre dos desgastes biológicos dos órgãos2, como também  não é uma separação  brusca. A “alma se desprende gradualmente e não escapa como um pássaro cativo a que se restituiu subitamente a liberdade.[…].”3  Assim,nunca é demais lembrar:

ABORTO

por Fabiola em . Publicado em Mocidade.

ABORTO_nao

Solange.

Quando se estuda o processo reencarnatório além do básico, com um pouquinho mais de profundidade; pode-se aprender que toda gestação é um complexo processo fluídico de imantação, aproximação, preparo do espírito reencarnante, preparação do desenvolvimento de toda a teia de convivência para tentativa de resolução entre gestante e todos os espíritos de sua convivência (canal ou não), etc.

André Luiz explica este delicado e complicadíssimo processo que visa concretizar a oportunidade divina de evolução e progresso dos espíritos envolvidos. Estes, além da gestante, vão desde o casal envolvido até familiares e pessoas de convivência deste núcleo.

Prudência

por Fabiola em . Publicado em Mocidade.

capa_reformador_outubro_2015_220“Colocar em prática a mensagem do Cristo requer, sobretudo, renúncia, sacrifício, profunda transformação intelecto-moral(…)”, por FEB – Federação Espírita Brasileira.

Segue o Editorial, com o Tema Prudência da Revista Reformador:

“[…] sede prudentes como as serpentes e inocentes como as pombas.” (Mateus, 10:16.)

Atualmente, mais que dantes, estamos sendo convocados a vivenciar as verdades imortais que a Doutrina Espírita coloca ao alcance de todos indistintamente.

Colocar em prática a mensagem do Cristo requer, sobretudo, renúncia, sacrifício, profunda transformação intelecto-moral, possibilitando à inteligência deter, inicialmente, conhecimento, e ao sentimento modificar, posteriormente, o que se conquistou pelo conhecimento em valores éticos e morais, este o grande desafio.

Não adianta. Já foi.

por Fabiola em . Publicado em Mocidade.

recomecoSolange Magalhães

Não adianta achar que foste injustiçado.

Não adianta remoer fluxos de raiva e tristeza.

Já foi.

Quem comete injustiça (ao menos nesta vida, visto como injustiça) cedo ou tarde colherá os frutos de seu ato. Teus atos de injúria, calúnia ou intriga trarão frutos.

Uma má árvore não dá bons frutos.

O que adianta é se esforçar em oferecer o contrário. Pensar o contrário ou, no mínimo, não cultivar os maus sentimentos correndo o risco de se tornar igual ao ofensor em seus atos e pensamentos.

Tudo passa.

Concentra naqueles que te conhecem e sabem de tua índole. Caso a intriga os convença de que não eras verdadeiro, esta é uma tendência do outro.

A consciência tranquila não dá margem a desconfianças. Segue na verdade e na harmonia. O que exalas, e sua identidade interior.

Ao remoer injustiças, alimentarás justamente o que não queres para ti: raiva, mágoa e uma identidade baixa.

A Esperança é a última que morre?

por Fabiola em . Publicado em Mocidade.

 downloadGeraldo Campetti Sobrinho

O homem pode suavizar ou aumentar o amargor de suas provas, conforme o modo por que encare a vida terrena. Tanto mais sofre ele, quanto mais longa se lhe afigura a duração do sofrimento. Ora, aquele que a encara pelo prisma da vida espiritual apanha, num golpe de vista, a vida corpórea. Ele a vê como um ponto no infinito, compreende-lhe a curteza e reconhece que esse penoso momento terá presto passado. A certeza de um próximo futuro mais ditoso o sustenta e anima e, longe de se queixar, agradece ao Céu as dores que o fazem avançar. (O evangelho segundo o espiritismo, cap. 5, it. 13. Trad. Guillon Ribeiro. Ed. FEB).

*

Pandora era uma princesa da Grécia antiga que recebeu de deuses ciumentos de sua beleza um presente, uma caixa misteriosa. Disseram-lhe que jamais a abrisse. Mas um dia, vencida pela curiosidade e tentação, ela ergueu a tampa para dar uma espiada, liberando no mundo os grandes males: a doença, a inquietação e a loucura. Um deus compadecido permitiu-lhe, porém, fechar a caixa a tempo de prender o único antídoto que torna suportável a infelicidade da vida: a esperança.

Como Neutralizar as Más Influências Espirituais

por Fabiola em . Publicado em Mocidade.

pensamentos-que-voce-nao-deve-ter-no-trabalho-noticiasMarta Antunes de Moura

A influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos é tão comum que os orientadores espirituais afirmam categoricamente: “Muito mais do que imaginais. Influem a tal ponto, pois, frequentemente, de ordinário, são eles que vos dirigem.”1 Esta informação dos Espíritos pode até surpreender. Porém, se analisarmos mais detidamente a questão, concluiremos que a resposta não poderia ser outra, uma vez que vivemos mergulhados em um universo de vibrações mentais, influenciando e sendo influenciados, como bem  esclarece Emmanuel:

Evoluir é Encorajar-se

por Fabiola em . Publicado em Mocidade.

voce-teria-coragemSolange Magalhães

Impressionante como é mais fácil sintonizar com nossos desafetos. Como é fácil tropeçar em nossos primários instintos sociais de embate ou raiva.

E não me venha com esse papinho de “não tenho desafetos”. Todos temos. E assumir isso já é evoluir.

Temos desafetos de diferentes relações ou intensidades.

Exige-nos esforço tremendo parar de pensar nos desaforos (que pode ser o simples tocar a vida do tal “inimigo”); exige-nos força diante de conversa não emitir comentário negativo; é custoso não pensar que fulano(a) vai se dar mal, que logo vai receber o troco.

Esta Humanidade Perdida

por Fabiola em . Publicado em Mocidade.

downloadSolange

Vez por outra escuto alguém dizer algo do tipo: -“Este mundo está perdido, a humanidade está perdida mesmo…”.

Tais afirmações, hoje em dia, me causam estranheza.

Até onde eu sei, o mundo é formado por todos nós. A humanidade é só um conjunto de muitos humanos. E integramos este coletivo.

Afirmar que o mundo ou a humanidade não tem jeito é excluir o indivíduo deste conjunto, o que é impossível, ou seja, se eu sou humano, eu integro a humanidade.

- E o que eu tenho feito, enquanto parte da humanidade, para melhorar isso tudo?

Contatos

  • Rua Tomáz Antonio Gonzaga, 305
    Bairro São José - Pouso Alegre - MG
  • (35) 99220 - 8388