Feliz Natal e Excelente 2019!!!

por Valdenir em . Publicado em Estudando Espiritismo.

Natal4

Agradecemos aos voluntários e frequentadores da casa espírita Vinhas do Senhor por todo apoio e companhia carinhosamente concedidos neste ano que está chegando ao final.

Desejamos a todos muita paz e harmonia, muita saúde e alegria, muita serenidade e fraternidade, muito discernimento e perdão, muito amor e caridade.

Desejamos também que  este natal que se aproxima represente a união com nossa inspiração, Jesus, e que nossas metas sejam sempre traçadas segundo seus ensinamentos.

C.E.V.S.

LOUVOR DO NATAL

por Valdenir em . Publicado em Mensagens - Emmanuel.

Natal3

Pelo Espírito Emmanuel.

Psicografia de Francisco Cândido Xavier.

Livro: À Luz da Oração. Lição nº 13. Página 33.

Senhor Jesus!

Quando vieste ao mundo, numerosos conquistadores haviam passado, cimentando reinos de pedra com sangue e lágrimas.

Na retaguarda dos carros de ouro e púrpura com que lhes fulgia a vitória, alastravam-se, como rastros da morte, a degradação e a pilhagem, a maldição do solo envilecido e o choro das vítimas indefesas.

Levantavam-se, poderosos, em palácios fortificados e faziam leis de baraço e cutelo, para serem, logo após, esquecidos no rol dos carrascos da Humanidade.

Entretanto, Senhor, nasceste nas palhas e permaneceste lembrado para sempre.

Ninguém sabe até hoje quais tenham sido os tratadores de animais que Te ofertaram esburacada manta, por leito simples, e ignora-se quem foi o benfeitor que Te arrancou ao desconforto da estrebaria para o clima do lar.

Cresceste sem nada pedir que não fosse o culto à verdadeira fraternidade.

Dos desvios e distorções doutrinárias

por Valdenir em . Publicado em Orson Peter Carrara.

Espiritualidade

Orson Peter Carrara

           Há que se dedicar muito cuidado e atenção na prática cotidiana da programação de nossas instituições espíritas. O compromisso do adepto espírita é com o Espiritismo. E Espiritismo está claramente definido nas obras básicas de Allan Kardec. As inclusões indevidas, práticas que distorcem, inovações oriundas de nossas distrações doutrinárias e mesmo quando criamos o “nosso espiritismo”, correm por nossa conta e risco, gerando responsabilidades de expressão, face às noções indevidas que podemos estar semeando em pessoas que agora se aproximam da Doutrina Espírita e o conhecem distorcido de suas propostas verdadeiras.

            O compromisso do Espiritismo é com a renovação moral do ser humano. Totalmente conectado com o Evangelho de Jesus, suas bases visam esclarecer e orientar sobre nossa natureza, origem e destinação como filhos de Deus. Fundamentado em bases racionais e exclusivamente voltado ao crescimento intelecto moral dos filhos de Deus, o Espiritismo dispensa condicionamentos, dependências de qualquer espécie, imposições, exigências e fanatismos que possam ou queiram se impor.

Dos equívocos e das distorções doutrinárias

por Valdenir em . Publicado em Orson Peter Carrara.

Casa Espírita

Orson Peter Carrara

A falta de estudo da Doutrina Espírita, a ausência do uso da razão e do bom senso e também o isolamento dos grupos (fechando-se em si mesmos) são os responsáveis pelos absurdos que se cometem em nome da Doutrina e seu movimento. E isto fica por conta de quem pratica, pois o Espiritismo não pode ser responsabilizado por aqueles que não raciocinam no que fazem.

São muitos os exemplos, alguns citados em livros, jornais e revistas, por articulistas e autores diversos, todos respeitáveis e conhecidos na atividade espírita, os quais permito-me citar uns ou outros (os exemplos) para desenvolvimento do presente artigo.

Enquadram-se nesses equívocos:

  1. Obrigatoriedade de passe em todo e qualquer comparecimento ao Centro Espírita;

  2. Toda pessoa que chega perturbada ao Centro Espírita é médium;

  3. Os médiuns são seres elevados e extraordinários;

  4. Os oradores e expositores são seres infalíveis – “falou tá falado”;

  5. Médium experiente não precisa estudar;

  6. Não se deve bater palmas ao final de palestras para não dispersar fluidos;

  7. Casamento, batizado, uso de gestos e imagens, roupas especiais, cromoterapia, cristais, tvp, pirâmides, etc, no Centro Espírita;

  8. As mãos dadas formam correntes de proteção;

  9. Comemoração de Páscoa e Semana Santa no Centro Espírita;

  10. Para recarregar energias, o aplicador de passes deve encostar a cabeça na parede após a tarefa;

  11. Mulheres não devem entrar de saia no centro;

  12. Homens e mulheres devem sentar-se em fileiras separadas no ambiente do centro;

  13. Reencarnação serve para pagar dívidas;

  14. Os espíritos comunicantes sabem tudo;

  15. Determinado Centro Espírita é forte, o outro é fraco;

  16. Uso de expressões, como mesa branca, baixo espiritismo, encosto e muitos outros absurdos como aqueles das correntes no chão e das garrafas em prateleiras, para prender os espíritos obsessores ou da mesa de concreto que suporte os murros dos médiuns indisciplinados.

Os Carneiros de Panúrgio

por Valdenir em . Publicado em Orson Peter Carrara.

Os Carneiros

Orson Peter Carrara

Palavra diferente, não é mesmo? Eu também não conhecia. O título da presente abordagem é também o título de um livro publicado em 1890 e de autoria do Dr. Bezerra de Menezes. É um romance filosófico/político – é daqueles livros que não se consegue interromper a leitura – e retrata em sua essência (daí a referência no título a carneiros) o comportamento de pessoas que seguem cegas, sem reflexão, outros comportamentos. Como carneiros que não questionam e se sujeitam. A expressão panúrgio vem de personagem da obra conhecida como Pantagruel, do escritor francês François Rabelais (cerca de 1494-1553).

O texto é de 1886, durante a Monarquia, e publicado um ano após a Proclamação da República. O próprio autor declara: “Esta obra foi escrita em 1886, quando nada podia fazer presumir o desastre da monarquia. Só a carência de meios, que agora me foram proporcionados, me impediu de publicá-la em pleno reinado de D. Pedro de Alcântara.(…)”.

O fato, porém, é que é obra atualíssima, muito instrutiva, no desdobramento da saga dos personagens e no analisar da própria vida humana, com os vários ingredientes que fazem as lutas do cotidiano, nos relacionamentos familiares, nos dramas e lutas pelo progresso. Entre os diálogos dos personagens, a preciosidade dos comentários fundamentos na Lei do Progresso, da Lei de Sociedade, de Igualdade, entre outras, além, é claro, da velha questão do Livre arbítrio e da Lei de Causa e Efeito. E com grande destaque para as lideranças políticas e mesmo para educação dos filhos. Uma obra espetacular, deliciosa de ler. E repito, além de muito instrutiva, muito cativante.

Contatos

  • Rua Tomáz Antonio Gonzaga, 305
    Bairro São José - Pouso Alegre - MG
  • (35) 99220 - 8388