Análise de palestras espíritas.

por Valdenir em . Publicado em Cotidiano - Wellington Balbo.

Palestra

Wellington Balbo

Participo de um grupo de estudos do Espiritismo pela internet, grupo, aliás, muito instrutivo. Costumo aprender com os comentários dos estudiosos e, dia desses vi algo, num comentário, que me chamou atenção.

Um componente do grupo pediu a outro participante para analisar determinada palestra espírita que havia sido proferida em sua cidade. Então, após o pedido, a análise foi feita de forma muito tranquila, com argumentos e sem qualquer ofensa a referida palestra ou ao orador.

Mas, eis que uma outra participante do grupo, ao se deparar com a análise da palestra, resolve pedir mais caridade.

Fiquei, então, sem entender. A análise, como disse acima, havia sido feita da forma mais respeitável possível, sem ofensas ou adjetivações.

Onde estaria a falta de caridade?

Tratado de gratidão

por Valdenir em . Publicado em Orson Peter Carrara.

Gratidão 3

Orson Peter Carrara

Segundo o grande filósofo e doutor da Igreja Católica São Tomás de Aquino, que escreveu o “Tratado da Gratidão”, essa grande virtude apresenta-se em três níveis:

1- Nível superficial: é aquele racional que presta ao outro apenas um reconhecimento por sua atitude. Seria simplesmente a gratidão em si mesma.

2- Nível intermediário: é o de agradecimento, que dá graças, que louva àquele que lhe prestou algum benefício. No caso, vai além da simples manifestação de gratidão, mantendo-se a permanência desse sentimento.

3- Nível profundo: é aquele que se compromete com a pessoa que lhe fez o favor, ou a boa atitude. Ele apresenta um nível de vinculação entre as pessoas.

Eis um desafio: adequar a mensagem espírita ao perfil do público.

por Valdenir em . Publicado em Cotidiano - Wellington Balbo.

Orador

Wellington Balbo – Salvador BA

Faz bom tempo que presenciei interessante fato ocorrido em algum centro espírita deste Brasil. O orador, de muita qualidade, aliás, saiu um tanto quanto triste de sua palestra. Motivo: percebeu que o público não havia assimilado adequadamente sua mensagem. A impressão foi a de que ele havia discursado num outro idioma, bem diferente do português.

Situações assim, em que não há uma comunicação eficaz, são comuns não apenas no universo espírita, mas em muitos outros. Um fator nem sempre observado é o perfil do público a que será destinada a exposição. É preciso observar perfil do público, cultura local, situação econômica da região e tantos outros pontos que criam um elo entre orador e público, de forma a facilitar a assimilação do que se quer transmitir.

Anjos para custodiar criminosos?

por Valdenir em . Publicado em Orson Peter Carrara.

Mãos2

Orson Peter Carrara

Se você tem que enfrentar um animal feroz, agressivo, enjaulado ou que te surpreende, há que se utilizar de recurso resistente de defesa, fugir do local ou se for o caso de entrar em seus domínios, terá que valer-se de pessoa forte, experiente, que possa dominar a situação.

Da mesma forma você não vai convocar uma ovelha para domar um lobo feroz. Ela será fácil e rapidamente trucidada.

O raciocínio também vale para as atrocidades humanas, saindo agora dos animais agressivos, muito semelhantes em várias situações a comportamentos bem animalescos.

Para enfrentar pessoas com índole perversa, que lamentavelmente se transformam em homicidas, caminham pelo crime generalizado (não só com armas de fogo, claro), é preciso para enfrentá-los igualmente pessoas inteligentes, ágeis e fortes, em muitos casos fisicamente também. Inclusive em inúmeros casos com o mesmo perfil psicológico e também com a malícia própria de índoles bem parecidas, embora com focos diferentes.

O Servo Bom

por Valdenir em . Publicado em Crônicas - Humberto Campos.

Zacheu

Humberto de Campos

Extraído do Livro: Boa Nova – FEB

A condenação das riquezas se firmara no espírito dos discípulos com profundas raízes, a tal ponto
que, por várias vezes, foi Jesus obrigado a intervir, de maneira a pôr termo a contendas injustificáveis.
De vez em quando, Tadeu parecia querer impor aos assistentes das pregações do lago a entrega de
todos os bens aos necessitados; Felipe não vacilava em afiançar que ninguém deveria possuir mais que
uma camisa, constituindo uma obrigação tudo dividir com os infortunados, privando-se cada qual do
indispensável à vida.
– E quando o pobre nos surge somente nas aparências? – replicava judiciosamente Levi – Conheço homens abastados que choram na coletoria de Cafarnaum, como miseráveis mendigos, apenas com o fim de se eximirem dos impostos. Sei de outros que estendem as mãos à caridade pública e são proprietários de terras dilatadas. Estaríamos edificando o Reino de Deus, se, favorecêssemos a exploração?
– Tudo isso é verdade. – Redargüia Simão Pedro. – Entretanto, Deus nos inspirará sempre, nos momentos oportunos, e não é por essa razão que deveremos abandonar os realmente desamparados.

ACEITAÇÃO

por Valdenir em . Publicado em Richard Simonetti.

Aceitação

Richard Simonetti

Extraído do Livro: Saúde da Alma – CEAC Editora

Perguntavam a Chico como conseguia conservar a tranquilidade ante tantas solicitações de multidões ávidas de consolo e conforto que o procuravam.

O médium respondia com uma única palavra:

Aceitação.

Se bem analisarmos, verificaremos que muitas de nossas perturbações e desajustes nascem de reações negativas, ante as situações que se sucedem no cotidiano:

– O trânsito lento.

– A agressividade do familiar.

– A sobrecarga no serviço.

– As críticas do companheiro.

– O problema inesperado.

Em situações mais graves, a não aceitação gera sérios problemas, passíveis de nos desajustarem.

– A morte de um ente querido

– A doença grave.

– O prejuízo financeiro.

– A deserção de um amigo.

– A traição de um afeto.

Contatos

  • Rua Tomáz Antonio Gonzaga, 305
    Bairro São José - Pouso Alegre - MG
  • (35) 99220 - 8388