Postura coerente ou só aparência?

por Valdenir em . Publicado em Orson Peter Carrara.

Postura

Orson Peter Carrara

Tem sido desafio em todos os tempos mantermo-nos coerentes com as noções de justiça e bondade que gradativamente vamos adquirindo pelas experiências de vida, sejam nos relacionamentos ou até mesmo com as reflexões interiores sempre presentes. Afinal sempre é tempo de nos perguntarmos se somos coerentes com o que já sabemos ou afirmamos saber, quando confrontamos tais conteúdos com as posturas e comportamentos que adotamos. Ou, em outras palavras, se estamos com as ilusões da aparência.

Num planeta com tantos extremos que todo dia apresenta quadros de mediocridade e violência, igualmente contrastando com as belezas e harmonia da natureza, é de se perguntar mesmo como estamos…

Há uma afirmação do Apóstolo Paulo que nos ajuda nessa reflexão. Acompanhe comigo página do capítulo 23 do livro Caminho, Verdade e Vida (ed. FEB, autoria de Emmanuel):

Na epístola aos romanos, Paulo afirma que o justo viverá pela fé.
Não poucos aprendizes interpretaram erradamente a assertiva. Supuseram que viver pela fé seria executar rigorosamente as cerimônias exteriores dos cultos religiosos.
Frequentar os templos, harmonizar-se com os sacerdotes, respeitar a simbologia sectária, indicariam a presença do homem justo. Mas nem sempre vemos o bom ritualista aliado ao bom homem. E, antes de tudo, é necessário ser criatura de Deus, em todas as circunstâncias da existência.
Paulo de Tarso queria dizer que o justo será sempre fiel, viverá de modo invariável, na verdadeira fidelidade ao Pai que está nos céus.
Os dias são ridentes e tranquilos? Tenhamos boa memória e não desdenhemos a moderação. São escuros e tristes? Confiemos em Deus, sem cuja permissão a tempestade não desabaria. Veio o abandono do mundo? O Pai jamais nos abandona. Chegaram as enfermidades, os desenganos, a ingratidão e a morte?
Eles são todos bons amigos, por trazerem até nós a oportunidade de sermos justos, de vivermos pela fé, segundo as disposições sagradas do Cristianismo”

Solitude, solidão, solicitude

por Valdenir em . Publicado em Orson Peter Carrara.

Solicitude 2

Orson Peter Carrara

As três palavras são muito parecidas, sonoridade semelhante, mas suas definições são bem distintas. E podem abrir universos de exemplos e abordagens. Aqui a abordagem é motivada pela curiosidade cultural das três palavras.

Vejam que interessante:

Solitude é o estado de privacidade de uma pessoa, não significando, propriamente, estado de solidão. Pode representar o isolamento e a reclusão, voluntários ou impostos, porém não diretamente associados a sofrimento. 

Solidão: estado de quem se acha ou se sente desacompanhado ou só; isolamento. Ou ainda sentir-se triste e infeliz devido ao isolamento social. E também não necessariamente em sofrimento.

Solicitude: boa vontade, desejo de atender da melhor maneira possível a alguma solicitação; empenho, interesse, atenção. Ou ainda afã e diligência em tratar, alcançar ou conseguir algum fim.

Outras palavras e exemplos podem ser trazidos com a mesma ocorrência de semelhança em letras e sonoridade, mas fiquemos apenas com essas com o objetivo de buscar a importância de cada uma delas.

Injusto “passar em branco”

por Valdenir em . Publicado em Orson Peter Carrara.

João Cabete

Orson Peter Carrara

No último dia 03 de abril de 2019 completou-se seu centenário de nascimento. E ninguém falou nada, pelo menos eu não vi…. Sim, o compositor João Cabete, de expressivo e inspirado acervo musical, nasceu em 03 de abril de 1919 na cidade de São Paulo, capital.

Injusto esquecer seu legado musical, não homenageá-lo em gratidão pelo inspirado acervo musical que deixou, acalentando almas com o vigor da esperança e da harmonia.

Permito-me transcrever parcialmente trechos da rica biografia constante no site da UEM. Aliás, sugiro ao leitor pesquisar a íntegra da biografia, pela riqueza de detalhes e pela impossibilidade de aqui transcrever. Acesse o portal www.uemmg.org.br e pesquise biografias pelo nome João Cabete.

(…) Apesar dos momentos difíceis, principalmente por ter perdido o pai aos oito anos de idade, a veia musical sempre esteve presente. Desde criança, acompanhado de seu inseparável violão, já fazia apresentações em movimentos promovidos pelas rádios da comunidade portuguesa. (…).

Achei a causa…

por Valdenir em . Publicado em Orson Peter Carrara.

Roteiro

Orson Peter Carrara

Estive pensando nos conflitos de relacionamento, nas dificuldades todas que aí estão, inclusive nas artimanhas e intrigas de bastidores, em empresas, famílias, conhecidos, colegas e mesmo nas atividades voluntárias compartilhadas nas instituições movidas pelo ideal religioso, das variadas denominações no Brasil; estava meditando sobre os ciúmes, as manipulações, os desrespeitos, as agressões, as acusações e críticas sempre reinantes, nos comentários maldosos e mesmo nos desprezos calculados, nos crimes entre cônjuges, nos abandonos de crianças e idosos, nas enfermidades surgidas de abalos emocionais… campo vasto a se abrir quando começamos a pensar nos dramas humanos e na nossa mediocridade moral….

Foi quando me deparei com o trecho abaixo. Ele consta do livro Roteiro, de Emmanuel, e está no capítulo 1 – O Homem ante a vida.

Foi inevitável. Ao ler, nesse momento de tantas dificuldades que nos afetam a todos, em âmbito familiar, social, profissional, nacional…. pude constatar: achei a razão maior. Achei o “fio da meada”. Eis a causa. Acompanhe atentamente. Peço ler vagarosamente… Eis:

Estamos esquecidos?

por Valdenir em . Publicado em Orson Peter Carrara.

Simples

Orson Peter Carrara

No livreto O Espiritismo em sua expressão mais simples, da FEESP, de Allan Kardec, que é dividido em 3 partes (Histórico do Espiritismo, Resumo do Ensinamento dos Espíritos e Máximas extraídas do ensinamento dos Espíritos, além das Notas), encontramos essas preciosidades que parecem esquecidas de todos nós na atualidade do movimento espírita: (transcrevo pequenos trechos parciais)

  1. Item 35 no item “Máximas”: O objetivo essencial do Espiritismo é o melhoramento dos homens. Não é preciso procurar nele senão o que pode ajudá-lo para o progresso moral e intelectual;

  2. Item 36 no mesmo item: O verdadeiro espírita não é o que crê nas manifestações, mas aquele que faz bom proveito do ensinamento dado pelos Espíritos. Nada adianta acreditar se a crença não faz com que se dê um passo adiante no caminho do progresso e que não o faça melhor para com o próximo.

  3. Item 38, continuando: A crença no Espiritismo só é proveitosa para aquele de quem se pode dizer: hoje está melhor do que ontem.

  4. E para concluir as transcrições, no item 60: Com o egoísmo, os homens estão em luta perpétua; com a caridade, estarão em paz (…).

Faça o teste!

por Valdenir em . Publicado em Orson Peter Carrara.

Molecular Thoughts

Orson Peter Carrara

Normalmente nos escravizamos aos condicionamentos mentais. É do ser humano fixar-se em determinados pontos de vista, que se condicionam, viciam, e como resultado colhemos os desdobramentos próprios da teimosia ou da rebeldia, do egoísmo e da vaidade, ou ainda da ganância, das manias e tudo o mais que todos conhecemos.

O pior é quando ruminamos situações, fazendo reviver mágoas guardadas e acumuladas, medos e traumas que retornam em situações que estabelecem alguma conexão com fatos vividos no passado ou em época recente. Basta um nome, uma lembrança, uma citação e pronto! Está estabelecida a conexão que faz ressurgir a mágoa e a raiva e até mesmo o desejo de vingança, com o consequente prejuízo da saúde.

            Na verdade, tudo está nos pensamentos, na maneira como o administramos para nos livrarmos dos vícios e condicionamentos e criarmos em torno de nós mesmos um ambiente saudável que propicie tranquilidade e alegria de viver, ingredientes expressivos na superação das adversidades naturais da vida.

Um médico amigo, psiquiatra, trouxe uma receita que pode ser usada em qualquer situação e favorável à mudança dos pensamentos, interrompendo o condicionamento mental. Sugeriu ele, em conversa informal em sua casa quando nos hospedou em Cascavel-PR, que o grande segredo está em selecionarmos uma lembrança que nos traga grande felicidade. Pode ser uma ocorrência, uma vivência, a recordação do filho, do neto, do cônjuge, não importa… O importante é que seja algo ou alguém que nos traga imensa felicidade.

É inevitável

por Valdenir em . Publicado em Orson Peter Carrara.

tecnologia

Orson Peter Carrara

 Há alguns anos, quando se poderia imaginar as facilidades de um celular, que já não é apenas um celular, mas reúne diversas utilidades num só aparelho, com a grande facilidade da comunicação instantânea, a depender do aplicativo utilizado, inclusive com imagem ao vivo.

Comportando num só aparelho máquina fotográfica, filmadora, telefone convencional e também com imagens, entre outros muito úteis sistemas que nos favorecem a vida, como o notável GPS e o recente whatsApp, realmente impressiona o que o ser humano é capaz de produzir ou, ainda melhor dizendo, foi capaz em tão pouco tempo – fruto, é claro, de conquistas anteriores –, a ponto de que a partir de 1988 a 2018, nossa tecnologia desenvolveu tecnologias e sistemas – em todas as áreas, reafirme-se –, superiores aos milênios anteriores da evolução humana.

Em 30 anos fomos capazes – cada um com sua aptidão e na soma da criatividade, talento e dedicação –, de revolucionar a vida humana em todos os sentidos.

Nada a provocar espanto. É a Lei do Progresso, inexorável em sua caminhada.

Escorrendo pelas paredes

por Valdenir em . Publicado em Orson Peter Carrara.

Despedindo-se

Orson Peter Carrara


O pequeno garoto sofria há dias de uma difícil dor de cabeça que não lhe dava tréguas. Prostrado, preocupava os pais, pois se apresentava também febril e os medicamentos não surtiam efeito.

            Procuraram ajuda. A vinda daquela bondosa senhora, sempre disposta a atender e socorrer os dramas humanos decifrou o enigma. Ao adentrar a casa, com a ampliação de sua visão mediúnica, pode perceber pelas paredes da casa focos de lama, como verdadeiras gosmas que escorriam pelas paredes, pingavam do teto, causando grandes prejuízos ao ambiente doméstico.

            Ao entrar no quarto do garoto, percebeu-o fluidicamente atolado no líquido lamacento, causa da forte dor de cabeça e do estado febril.

            A causa desses focos fluídicos de lama? O palavreado do pai. Habituado a palavrões, xingamentos, projetava no ambiente da casa o resultado de suas emanações mentais. A cada palavreado de revolta, a cada agressão verbal, a cada palavrão, a vibração de seus sentimentos através da voz agressiva projetava no ambiente do lar o resultado de seus desequilíbrios.

            A prece no ambiente dava a sensação de uma pá que juntava o lixo para jogá-lo pela janela, limpando aquelas vibrações pesadas espalhadas pelo pai descuidado. E como isso impressionava vivamente o garoto, que absorvia a agressividade do próprio ambiente!

Vigor da esperança

por Valdenir em . Publicado em Orson Peter Carrara.

Vivendo o Evangelho

Orson Peter Carrara

 Há um paradoxo na vida humana. Habitando um planeta lindo, de paisagens exuberantes, desfrutando de benefícios imensos como a água, o ar e a chuva, a beleza incomparável da fauna e flora variadíssima, e mesmo com toda tecnologia que já conquistamos, ainda vivemos um cenário de conflitos. Dominado pela avareza, a ganância, as intrigas e seus desdobramentos.

Mesmo com o canto dos pássaros, o sorriso das crianças, as artes que nos encantam e todas as possibilidades ao nosso alcance pelos sentidos, e repito, com todo o conforto trazido pelos avanços da ciência em todos os ramos do conhecimento e pesquisa, ainda vivemos os bastidores da calúnia, do crime, da hipocrisia, dos desrespeitos variados que aí estão, sem qualquer necessidade de citá-los, pois que muito conhecidos e vividos em abundância.

Mas, o vigor da esperança também é força presente. Apesar de toda tempestade à volta, continuamos a lutar, a viver, a aprender, a conviver – esse um grande tesouro – guardados pela predestinação do planeta no futuro de ser um mundo feliz.

Isso parece uma ilusão? Compara-se a um engodo? Há perspectivas?

Coerência

por Valdenir em . Publicado em Orson Peter Carrara.

Coerência

Orson Peter Carrara

Valores como a honestidade, a decência, a compostura e naturalmente que a plena identificação deles com as crenças que dizemos defender, revelam a coerência no comportamento social. Como conciliar atitudes indecorosas, violentas ou de atentado aos bons costumes em homens e mulheres que se dizem cristãos?


Sim, imagine o leitor um cidadão – seja qual for a religião a que se filie – que age em discordância com os ensinos que diz seguir. Existe aí uma grande incoerência entre o que “prega” e o que vive. Por sua vez, as religiões não podem responder pelo comportamento de seus seguidores. Todo comportamento contrário aos ensinos da religião, da moral, deve ser creditado à insânia humana que insiste em burlar a própria consciência.


Vários exemplos podem ser citados: a) Bêbados que fazem arruaças e responsabilizam o governo ou justificam-se reclamando da sorte; b) Violências de toda ordem, espancamentos em casa, traições conjugais ou gritos incontroláveis, levados a conta de gênio ruim; c) Desordens sociais, roubos e vandalismos considerados como meros divertimentos; d) Corrupção espalhada, permanecendo-se a noção do correto e do respeito às pessoas e às instituições.

Na verdade, nada é falta de sorte, culpa do governo ou de quem quer que seja. Age-se dessa ou daquela forma porque se permite a si mesmo adotar este ou aquele comportamento. Nada justifica um gesto de violência, de desrespeito ou de imoralidade senão a própria decisão individual marcada de desequilíbrio.

Contatos

  • Rua Tomáz Antonio Gonzaga, 305
    Bairro São José - Pouso Alegre - MG
  • (35) 99220 - 8388